Quando você deve rejeitar uma crítica?

Atualizado: 24 de Jun de 2020

Em situações profissionais nas quais você está prestando serviços ou vendendo seu roteiro para produtoras/players, o cliente poderá fazer críticas negativas. Caberá a você executar as alterações conforme solicitado.


Não é desse tipo de situação que se trata esse texto.


Quero tratar aqui de situações de aprendizado nas quais o roteirista iniciante recebe críticas negativas de roteiristas mais experientes, colegas, professores, em cursos, serviços de consultoria, faculdades, pós etc.


Paira no ar a sensação de que o roteirista iniciante não pode descartar críticas negativas, sugestões ou conselhos dos mais experientes. E que ele não pode nem mesmo argumentar. Deve simplesmente aceitar se quiser que sua carreira avance.


Ao descartar o feedback de quem tem mais anos de estrada, o iniciante estaria cometendo um erro, sendo "apegado", "teimoso", "imaturo".


Isso não é verdade.


Saber lidar bem com críticas negativas não significa ter que aceitá-las.


Roteiristas iniciantes que lidam BEM com críticas usam o próprio senso crítico para avaliar se o feedback faz sentido ou não (e descartam caso não faça).


Roteiristas iniciantes que lidam MAL com críticas aceitam cegamente todo e qualquer feedback ruim, descartando o próprio senso crítico em troca da validação alheia.


Você não será um roteirista melhor porque sempre altera o seu roteiro de acordo com críticas negativas e sim porque assume a responsabilidade pelo seu roteiro, decidindo quando aceitá-las e quando descartá-las.

Como lidar bem com críticas sobre o meu roteiro?


1. Pense exclusivamente na possibilidade de melhora do seu roteiro.


2. Ouça a crítica friamente.


3. Se a crítica for pertinente, você perceberá uma clareza na mente e a ficha cairá imediatamente. Melhore o seu roteiro.


4. Se a crítica não for pertinente, ela cairá como um "ruído" para você, como algo totalmente fora do lugar que tiraria a harmonia da sua história. Descarte.


5. Jamais terceirize o seu senso crítico. Ele deve ser o seu norte tanto em relação ao seu roteiro quanto em relação ao caminho que você escolhe para entrar no mercado audiovisual.


Lembre-se: você não tem que escrever como Fulano, Beltrano ou Ciclano. Você tem que escrever como você porque é na sua autenticidade que reside a sua maior força como roteirista.


Leda Ene

Roteirista

40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo